RESENHA: Berberian Sound Studio (2012)

Berberian_Sound_Studio_Hauptplakat

Por Jarmeson de Lima

Esta é uma bela homenagem aos filmes de estilo “giallo” e ao cinema de terror em si. Com referências a Mario Bava, Dario Argento e a obras como “A Conversação” e “Um Grito na Noite“, somos convidados desde o começo a imergir diretamente em um filme dentro de um filme. Até porque os créditos iniciais que você verá não são bem aquilo que você acha que é.

Pois bem… logo nos primeiros frames vemos a chegada de Gilderoy, um sofisticado engenheiro de som britânico que viaja até a Itália para trabalhar em uma produção chamada de “O Vórtice Equestre“. E por mais que isso pareça irrelevante, é justamente na hora em que ele chega ao estúdio que tem início a “história”.

bbs3_zps95769bec

A partir daí, vamos acompanhando por tabela todo o processo de sonorização e efeitos do filme italiano, com a gravação de vozes e a composição da trilha pontuadas através da descrição das cenas e de referências na montagem. Sugerindo mais do que explicitando, em nenhum momento chegamos a ver imagens deste filme que o profissional de áudio está trabalhando.

Seria um trabalho bem prazeroso, se o convidado britânico não estivesse se sentindo muito à vontade naquele ambiente, uma vez que o filme em questão contém cenas que envolvem mutilação, sacrifícios humanos, bruxarias, demônios e provavelmente muito sangue. E apesar de não estarmos assistindo a isso, ele está e vai ficando cada vez mais desconfortável e constrangido a ponto de não conseguir mais gravar certas cenas.

Berberian Sound Studio

Ao longo da trama, vamos percebendo que Gilderoy, interpretado brilhantemente por Toby Jones (um daqueles muitos coadjuvantes que você já viu por aí, mas que não sabia quem era), vai se tornando também parte do filme. Ou que a vida imita a arte. Ou que isso poderia parecer um roteiro clichê, mas não é. De repente, certas frases e cenas que vimos anteriormente no filme tomam um novo significado e o filme toma rumos inesperados, onde até o som pode se apresentar como uma arma.

Esteticamente e em termos de produção, “Berberian Sound Studio” é impecável. O clima de suspense se mantém ao longo de seus 90 minutos e não vemos nenhuma cena desnecessária ou com efeitos de edição estilo videoclipe (um mal desnecessário nesta era de horror fastfood).

bbs_scream2

E em termos de exercício cinematográfico é uma delícia ainda maior visualizar nesta obra as referências já citadas no início e ver que já em seu segundo longa-metragem, o inglês Peter Strickland fez esta pequena pérola para os apreciadores do gênero.

Direção: Peter Strickland
Roteiro: Peter Strickland
Elenco: Toby Jones, Antonio Mancino, Guido Adorni
Origem: Reino Unido

Um comentário sobre “RESENHA: Berberian Sound Studio (2012)

  1. Pingback: BUSCAS: Quem procura, acha | Toca o Terror

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s