RESENHA: The Strain (2014) – 1ª temporada

THE-STRAIN-Season-1-Poster-2Por Geraldo de Fraga

The Strain, série de vampiros do canal FX, está ainda na metade da sua primeira temporada, mas já foi renovada para outros 13 episódios em 2015. O programa é a mais nova empreitada de Guillermo del Toro, que além de ser o produtor e um dos diretores, é o autor do livro no qual a série foi baseada. Três livros, na verdade. A Trilogia da Escuridão, escrita em parceria com Chuck Hogan.

A história começa com um avião aterrissando misteriosamente no aeroporto de Nova York, com apenas quatro sobreviventes. A partir daí, acompanhamos o investigador do Centro de Controle de Doenças Ephraim Goodweather (Corey Stoll) tentando descobrir o que causou a morte dos outros passageiros e também, porque os outros quatro ficaram vivos.

Assim como em Blade 2, também dirigido por ele, Del Toro foge dos vampiros tradicionais. Esqueça a aparência humana, os dentes caninos pontiagudos, o charme e todo o folclore herdado de Drácula. As criaturas de The Strain possuem visual e mitologia própria, mais próximos dos filmes de ficção científicas do que do clássico horror gótico.

?????????????????????????????????????????????????????

O que ocorreu no avião foi na verdade o primeiro passo de um plano para liberar uma epidemia vampiresca na cidade. Usando as dimensões geográficas de Nova York, a série possui vários núcleos, mas o principal é mesmo o de Goodweather e sua equipe: Nora Martinez (Mía Maestro), Jim Kent (Sean Astin) e o caçador de vampiros Abrahan Setrakian (David Bradley). É deles a missão de encarar o imortal Thomas Eichorst (Richard Sammel), responsável por trazer a praga para a Big Apple.

Um dos trunfos da série é que, apesar de abrir um grande leque de personagens, todos os núcleos mantém tramas paralelas interessantes. Outro ponto a favor é o visual animalesco e pouco convencional das criaturas, que deixou os vampiros bem mais asquerosos. Isso facilita para que o público os veja como os inimigos a serem abatidos sem piedade. Soma-se a isso às boas atuações e temos uma das melhores histórias de Horror/Sci-Fi do ano.

Talvez a abordagem científica seja, não um ponto negativo, mas algo de difícil digestão até o momento. Algumas coisas ainda carecem de uma melhor explicação, como o fato de que existem vampiros racionais e outros que agem simplesmente como animais sedentos e atacam a torto e a direito. Mas como ainda estamos na metade da série, esperemos. Pois Del Toro, até agora, não nos deu motivo para abandonar o barco.

Nota: 8,0

2 comentários sobre “RESENHA: The Strain (2014) – 1ª temporada

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s