RESENHA: V/H/S – Viral (2014)

VHSVIRAL_POSTER_WEB-1Por Queops Negronski

Uma coisa que eu adoro em antologias: a impressão de que vi vários filmes em um só e, pasmem, essa é a ideia e por isso se chamam antologias! A franquia V/H/S aposta nisso e deu à luz a terceira parte do projeto: “Viral” e o que antes eram meras fitas vhs com histórias sinistras, se modernizam nesse filme na figura dos onipresentes dispositivos móveis e câmeras go-pro.

circleVicious Circles”, de Marcel Sarmiento, o filme que costura todos os segmentos, começa como uma terna história de amor dos tempos atuais, ou seja, a intimidade dos protagonistas é filmada e, entre um carinho e outro, ao ver ao vivo na televisão que uma perseguição policial vai passar na rua deles, o enamorado rapaz decide filmar a ação pra ter o seu quinhão de fama na internet e é aí que as coisas começam a dar muito errado, mostrando uma busca desenfreada do rapaz pela sua amada numa cidade cujos moradores estão pouco a pouco se comportando de maneira, digamos, unusual (com câmeras envolvidas, lógico) e entre um acontecimento e outro dessa busca (pela namorada e pela fama), somos apresentados aos outros curtas-metragens que compõem a antologia:

“Dante – The Great”, de Gregg Bishop. Um mágico decadente descobre uma capa que Harry Potter, em todos os seus anos em Hogwarts jamais teve e se torna o mais famoso prestidigitador do mundo. Um segmento que tem bom mote, mas cai no último terço por conta de exageros técnicos (sabe aquela história de que “menos é mais”? Pois é…), mas, ainda assim, segura a onda (talvez por ser um curta-metragem).

Untitled-1“Parallels Monsters”, de Nacho Vigalondo, mostra a história de um homem que constrói um portal para um mundo paralelo ao nosso, tão paralelo que o seu duplo está fazendo o mesmo que ele e depois de um breve entendimento, decidem passar quinze minutos no universo um do outro. Falar mais sobre este segmento estragaria a surpresa deste que considerei o melhor segmento desse “Viral”.

Bonestorm”, de Justin Benson e Aaron Moorhead. Dupla de skatistas filma seus malabarismos junto com um cameraman de segunda mais um agregado de última hora, e que, na busca por grandes emoções, vão parar no México (sempre filmando as suas evoluções), onde se deparam com situações radicais que jamais imaginariam depois de bagunçarem um local onde um ritual místico havia sido realizado. Uma boa surpresa deste segmento é de que é inteiramente passado durante o dia. Um curta digno que é prejudicado por exageros técnicos em seu terço final, mas, é divertido.

Enfim, se você gostou, mesmo que em parte, das outras edições da franquia, esse filme é pra você. E que venham outros.

Nota 3 (de 1 a 5).

Direção: Justin Benson, Gregg Bishop, Todd Lincoln, Aaron Moorhead, Marcel Sarmiento e Nacho Vigalondo 
Roteiro: Justin Benson, Gregg Bishop, T.J. Cimfel, Ed Dougherty, Todd Linc, Aaron Moorh, Nacho Vigalondo e David White 
Elenco: Emmy Argo, Emilia Ares Zoryan, Justin Welborn
Origem: EUA

Um comentário sobre “RESENHA: V/H/S – Viral (2014)

  1. Eu adoro o VHS e VHS 2, mas esse foi triste. Vou te contar uma coisa. O único curta que eu gostei e que ficou bem a cara dos outros foi o “Parallels Monsters”. o resto ficou um resto mesmo.

    Curtido por 1 pessoa

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s