RESENHA: Condado Macabro (2015)

Condado-Macabro-poster

[Por Geraldo de Fraga]

Um grupo de jovens aluga uma casa de campo para passar o feriado e durante sua estadia é atacada por psicopatas. Sim, você já viu essa sinopse em vários filmes de horror. Mas você já viu um longa assim filmado no Mato Grosso do Sul e com uma trilha sonora que reúne clássicos da música brega, como o rei Reginaldo Rossi?

condado-f_2103q_x-xxyxx

Não. Isso você só vê em Condado Macabro, escrito por Marcos DeBrito e dirigido por ele e André de Campos Mello. Mas condicionar Condado Macabro apenas a um legítimo representante do slasher brasileiro não é justo. O roteiro explora todos os clichês, mas também oxigena o gênero, a começar pela forma não linear como a história é narrada.

Os palhaços Cangaço (Francisco Gaspar) e Bola Oito (Fernando de Paula) vivem de pequenos golpes, vagando de cidade em cidade. Ao saber que cinco jovens de classe média estarão em uma casa nas redondezas, os dois tramam um assalto, mas eles não são os únicos que querem algo naquela noite. A história é contada em flashbacks, a partir do depoimento de Cangaço à polícia, após ele ser preso saindo da cena do crime.

Condado_Macabro-foto

Existem problemas em Condado Macabro, claro. Um deles é a sua duração. Suas quase duas horas (110 minutos para ser mais exato) cansam, até mesmo porque boa parte da primeira metade é focada no humor. E aí entra outro problema: nem todos personagens se enquadram como alívios cômicos e isso deixa algumas cenas bem sem graça.

Mas a quantidade de acertos é bem maior. A fotografia amarela, além de homenagear O Massacre da Serra Elétrica, exalta muito o ambiente natural da Região Centro Oeste dando-lhe uma aparência desoladora. A direção é competente e as cenas de morte exageram no gore, não decepcionando o público. Se o elenco não é perfeito, Francisco Gaspar e Paulo Vespúcio, na pele do investigador Moreira, se destacam. Ponto também para a dupla de psicopatas.

condado-D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Condado Macabro é um dos melhores filmes brasileiros do ano passado e com certeza deve figurar entre os clássicos nacionais do horror, caso consiga atingir um grande público. Nosso desejo é que ele abra muitas portas para que seus realizadores possam produzir mais e mais. Nós, fãs do horror, estaremos ansiosos para assistir.

Escala de tocância de terror:

Direção: Marcos DeBrito e André de Campos Mello
Roteiro: Marcos DeBrito
Elenco: Francisco Gaspar, Bia Gallo, Paulo Vespúcio e Leonardo Miggiorin
Origem: Brasil
Ano: 2015

5 comentários sobre “RESENHA: Condado Macabro (2015)

  1. Gostaria de saber porque este site dá 2 estrelas para os filmes mais bem avaliados por ai, não passa disso. Aí dão 3 estrelas para este esforçado, mas mal feito filme nacional.

    Curtir

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s