RESENHA: Baskin (2016)

baskin1 (1)

[Por Geraldo de Fraga]

Há cerca de uns dois ou três anos, surgiram alguns filmes de terror turcos que chamaram a atenção do público ocidental. Um dos mais falados, e que esteve nas listas de mais aguardados de 2016, foi Baskin, dirigido pelo estreante em longas Cab Evrenol, que foi exibido em uma sessão lotada no Festival de Toronto do ano passado.

baskin5

O filme ganhou elogios da crítica especializada e foi até chamado de “verdadeiro pesadelo filmado”, onde temos uma “visão completamente nova, assustadora e caótica do inferno”. Resumindo: Baskin chocou e fez sua fama sob a promessa de cenas fortes e com violência fora do normal. Cumpre essa promessa? Não muito.

Acompanhamos a história de cinco policiais de caráter duvidoso em uma ronda noturna, torcendo para que nada aconteça e que eles terminem seu plantão de forma sossegada. Tudo corre bem, até que eles recebem uma chamada de outra viatura, solicitando reforço num distrito conhecido por ser barra pesada e também como um local cheio de lendas não muito atrativas.

baskin3

Após vários imprevistos na estrada, eles chegam até o lugar de onde partiu o chamado e dão de cara com um antigo casarão, sem saber o que de fato aconteceu por lá, já que não encontram os outros policiais, apenas a viatura abandonada na entrada. Ao entrarem no local, os cinco acabam no meio de um ritual satânico, com bizarrices de todo tipo.

Todo construído para chegar nesse suposto ápice de insanidade, Baskin não impressiona em nada na verdade. As cenas dentro do casarão mais parecem aquelas encenações do tipo Noite de Terror no Playcenter do que a tal visão assustadora que foi tão comentada mundo afora. É o tipo de filme que você acompanha uma primeira hora mais lenta, esperando uma ação desenfreada no fim, mas acaba não sendo premiado como gostaria.

baskin2

Não que seja de todo ruim, mas não é nada que já não vimos. O final pessimista até dá uma carga dramática, só que não a ponto de salvá-lo. Baskin vale apenas para que tem curiosidade em acompanhar produções de fora de Hollywood, baseados em dogmas religiosos diferentes dos ocidentais. Nada mais que isso.

Direção: Cab Evrenol
Roteiro: Cab Evrenol
Elenco: Mehmet Cerrahoglu, Gorkem Kasal e Ergun Kuyucu
Origem: Turquia
Ano: 2016

Escala de tocância de terror:

Um comentário sobre “RESENHA: Baskin (2016)

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s