RESENHA: Águas Rasas (2016)

aguasrasas_2-1

[Por Felipe Macêdo]

Se você achava que estava seguro voltar a nadar no mar, pense de novo, pois nem no raso o perigo dá um descanso. O vilão aquático mais querido da sétima arte está de volta com tudo nesse ano com o novo filme de sobrevivência e horror “Aguas Rasas” (The Shallows), que estreia nesta semana nos cinemas do país.

A história mostra a protagonista Nancy (Blake Lively) tentando se encontrar após a morte da mãe, indo para uma praia paradisíaca onde sua mãe passou um tempo na época da gravidez. A mocinha curte surf e o local parece ser o ideal para essa prática. O problema é que um grande tubarão está a espreita e ataca a garota num local considerado raso para ter uma fera tão grande. Ferida, assustada e refugiada em um arrecife, ela tem que lutar por sua vida, pois a maré está subindo e o tubarão continua à espreita.

O longa segue a fórmula de outros filmes de sobrevivência, onde o protagonista passa por situações extremas e tem que usar a inteligência e as claras limitações visíveis para superar o desafio e talvez sair com vida. Blake Lively carrega o filme sozinha e dá conta do recado, demonstrando toda dor emocional pela perda da mãe e os limites físicos da personagem em momentos angustiantes.

the-shallows-0

A fotografia é viva, vibrante e combina perfeitamente com a paisagem paradisíaca mostrada, ajudando a dar o tom de tensão nos momentos certos. O diretor Jaume Collet-Serra que já tinha dirigido “A Órfã” e vários filmes do Liam Neeson, dá conta do recado, utilizando vários clichês desse tipo de filme. Vemos imagens em primeira pessoa representando a visão do tubarão e uma barbatana aparecendo em momentos de ataque (essa última em excesso, cansando um pouco) e conduzindo de forma competente as cenas de ação, deixando quem assiste na ponta da cadeira.

the-shallows1

O problema do filme é seu clímax exagerado e nada realista onde a protagonista vira uma espécie de McGyver, rendendo cenas de ação mirabolantes. Mesmo assim, isso não compromete tanto o resultado final. No fim das contas, “Águas Rasas” é um bom filme sobre tubarões e passa na média por apresentar uma protagonista forte e carismática, bons sustos e diversão pipoca para todos.

Escala de tocância de terror:

Direção: Jaume Collet-Serra
Elenco: Blake Lively, Sedona Legge e Óscar Jaenada
Distribuidora: Sony / Columbia Pictures
País de origem: EUA
Ano: 2016

4 comentários sobre “RESENHA: Águas Rasas (2016)

  1. Assisti o filme pela atriz, mas sempre achei os filmes de tubarões bem exagerados sem um porque plausível, já que nos filmes eles sempre parecem ser absurdamente inteligentes e na verdade são um dos animais mais burrinhos do reino animal e ainda fazem os tubarões parecerem monstros assassinos sanguinários, sendo que só atacam porque tem um percepção bem ruim e atacam tudo que se move perto deles… Uma coisa incrível que é muito pouco trabalhada nesses filmes é a percepção deles de cheiro, principalmente de sangue…

    Curtir

  2. Pingback: RESENHA: Medo Profundo (2017) | Toca o Terror

  3. Confesso que estou cansada de filme de tubarões pelo fato de quase todos mostrarem os animais ‘insistindo” na caça com muito mais alimento disponível ao redor. Se não me falha a memória, o tubarão desse filme tem à sua disposição a carcaça de uma baleia e vai querer a loira de sobremesa? Ah, nem…
    Quando vejo documentários de mergulhadores próximos a tubarões (de barriguinha cheia e muito na deles), fico pensando como o roteirista decidiu que enquanto o bicho não devorar os personagens da trama e ser morto no fim, ele não vai largar o osso… trocadilho não intencional.

    Curtir

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.