RESENHA: The Silence (2019)

[Por Felipe Macedo]

A Netflix ataca mais uma vez. Agora é com uma nova produção de terror que surfa na onda de sucesso de “Um Lugar Silencioso” lançado há um ano atrás. “O Silêncio” (The Silence) também tem criaturas que caçam tudo que se mexe através do som emitido por elas. Ou seja, tá todo mundo caladinho por aqui também. Mas será que o serviço de streaming entregou uma obra tão boa quanto a do filme famoso? Isso é o que iremos descobrir a seguir.

Um grupo de exploradores participa de uma ação numa caverna localizada no interior dos EUA e acidentalmente libera um bando de morcegos monstruosos que tem um apetite especial por carne, principalmente a humana. O caos é instaurado e logo o país se torna terra de ninguém, onde acompanhamos uma família e sua luta por sobrevivência.

Vamos agora à análise das similaridades com a obra mais conhecida. Além dos antagonistas caçarem pelo som, temos também uma personagem que é deficiente auditiva. E aqui também os demais membros da família se comunicam com ela por linguagem dos sinais. Pronto, as semelhanças acabam aqui. E já digo que estamos numa versão bagaceira da história. Não que isso pudesse ser ruim, mas a trama se leva a sério demais e os absurdos são tantos que não tem como assistir sem rir.

A direção de John R. Leonetti, responsável por pérolas como “Mortal Kombat: A Aniquilação” (1997), “Annabelle” (2014) e o pavoroso “7 Desejos” (2017), é praticamente nula e tediosamente arrastada, nunca conseguindo causar tensão ou qualquer outra emoção que não seja o riso. Eu fico me perguntando se o cara achou realmente bacana as canastrices e caras e bocas dos vilões. E não foi à toa que citei Mortal Kombat, o rosto das criaturas lembram muito a do personagem Baraka, presente em vários jogos da série.

O principal chamariz em “O Silêncio” é a presença de duas atrizes da famosa série “O Mundo Sombrio de Sabrina”, outra produção original Netflix. As atrizes Kiernan Shipka e Miranda Otto, respectivamente Sabrina e Tia Zelda, aqui interpretam mãe e filha em um show de preguiça, nunca passando as emoções que as personagens pedem. Isso inclui ainda o pai Stanley Tucci. Na real, todo o elenco trabalha no automático e gera involuntários momentos hilários.

Vale lembrar que o filme não tem muito gore e as partes vermelhas do longa ou são mostradas de longe ou desfocadas. Acredito que seja assim para não assustar o público da série da bruxinha. “O Silêncio” é fraco, mas divertido se você gosta de obras constrangedoras.

Escala de tocância de terror:

Título original: The Silence
Diretor: John R. Leonetti
Roteiro: Carey Van Dyke, Shane Van Dyke e Tim Lebbon
Elenco: Kiernan Shipka, Stanley Tucci, Miranda Otto e outros
Ano de lançamento: 2019

Um comentário sobre “RESENHA: The Silence (2019)

  1. Se eu tivesse lido essa resenha antes, nem tinha perdido minha manhãzinha de quinta assistindo uma bomba dessas. Têm um desenrolar até o final, é nos últimos 10 minutos muda o tom e o rumo completamente, o que é tarde demais.

    Curtir

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.