RESENHA: Suspiria – A Dança do Medo (2018)

[Por Júlio César Carvalho]

Desde que saiu a notícia de que SUSPIRIA, clássico dos anos 70, de ninguém menos que Dario Argento, ganharia uma nova versão, confesso que fiquei receoso. Não que, para mim, este seja um dos melhores do diretor, pois apesar do conceito visual e trilha sonora marcantes, é inegável todo o desmantelo narrativo, atuações toscas… Enfim… melhor parar com o original e focar no “remake”.

Na trama, bem resumidamente pra evitar spoilers, acompanhamos Susie Bannion, uma jovem americana do interior que decide ser dançarina e vai para uma academia conceituada na Alemanha tentar a sorte. Chegando lá, impressiona a todos com sua performance chamando a atenção da já consagrada Madame Blanc. Nem precisa dizer que as coisas ficam cabulosas por lá, né?

Dirigido pelo também italiano, Luca Guadagnino, este novo SUSPIRIA nos leva para uma escola de dança na Alemanha Oriental mantendo o cerne da trama, porém com mudanças significativas que realmente se sobressaem em relação ao original. Com destaque para as atuações. (Pra quem conhece a filmografia toda do Argento, sabe do que tô falando) Aqui, todas as atrizes realmente entregam personagens marcantes e verossímeis, ao contrário do original. O destaque óbvio fica para a já veterana Tilda Swinton no papel da emblemática Madame Blanc.

Esta nova versão acerta em fugir da paleta de cores gritante do clássico cult, apostando em tons pasteis, quase sem vida, já mostrando que, apesar de ser um remake, tem personalidade própria. Porém, em seu início, procura remeter ao Argento com alguns movimentos de câmera característicos. Pode ser algo que soa mais como homenagem do que um recurso apelativo. Há também um trabalho de reconstituição de época que impressiona tanto na caracterização das ruas como das pessoas. Parece que todo mundo foi tirado daquele tempo de fato.

Para além das cores, o diretor tinha praticamente a missão de criar cenas tão impactantes quanto as do original e consegue. Pena que a melhor já tenha sido exposta nos trailers… O fato é que a violência gráfica chega a ser sádica e, em algum momento, chega a ser apoteótica. Se você curte um sangueiro, não vai se decepcionar. Mas, pra não dizer que tudo são flores, há um recurso técnico em certo momento que, para mim, estragou algo que poderia ter sido ainda mais cabuloso visualmente. O ponto fraco fica para a trilha sonora que, salvo alguns poucos momentos, praticamente passa despercebida.

Denso e macabro, este SUSPIRIA é um filmaço. Uma obra consistente que vai dividir opiniões com relação ao clássico cult setentista. Para mim, este remake tem mais “sustância”, como se diz por aqui, pelas atuações, mensagens e pela fluidez com que a trama é desenrolada. Se curte filme cabuloso, vai fundo!

Escala de tocância de terror:

Direção: Luca Guadagnino
Roteiro: David Kajganich
Elenco: Chloë Grace Moretz, Tilda Swinton, Dakota Johnson
Origem: Itália, EUA
Ano de lançamento: 2018

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.