DICA DA SEMANA: Sorority House Massacre II (1990)

[Por Felipe Macedo]

Os slasher movies e suas intermináveis sequências são tão parecidos que às vezes a gente se confunde com o título, quando não é mesmo essa a intenção dos produtores. Para cada filme que se tornou um clássico conhecido, existe pelo menos mais três não tão famosos assim com um baixo custo de produção e de qualidade questionável.

O fato é que o bom ou o médio retorno financeiro acaba valendo a pena para essa galera. Nesse contexto aí, já na época de declínio do subgênero em 1990, apareceu a “continuação” de “Mansão da Morte” (Sorority House Massacre, 1986), virando uma produção ainda mais obscura que caiu no YouTube para quem quiser arriscar.

Seriam estas as primeiras Spice Girls?

Em “Massacre na Casa de Fraternidade 2” (Sorority House Massacre II), Jim Wynorski nos apresenta um grupo de garotas que compra uma casa para fazer dela uma fraternidade. O problema é que no local, cinco anos antes, ocorreu um massacre onde o dono do imóvel matou toda família e foi detido por uma dupla de vizinhas. Na arrumação da casa, elas encontram uma tábua ouija e supostamente invocam o espiríto do assassino.

Então agora uma por uma, elas são mortas por uma figura misteriosa. Seria ele o vilão que voltou dos mortos ou um novo psicopata em ação? Tendo essa premissa em mente e sabendo que esta é uma continuação B, espere qualquer coisa. Inclusive um dos grandes charmes desta produção, é se utilizar de um humor cínico que nunca se leva a sério, constantemente brincando com os clichês da escola slasher de cinema.

Participação especial de Rogerinho do Ingá

Bem, lembram que eu disse que ele se tratava de uma continuação entre aspas, simplesmente pelo fato de não ter nada a ver com o original? Se bem que o original já era uma cópia ruim de Halloween… Este segundo e ousado longa se aproveita de cenas de flashback de uma outra franquia (Slumber Party Masssacre, 1982) mudando os eventos e a história do mesmo.

Vai precisar de muito Vanish pra limpar essa roupa

Esta produção usa e abusa de qualquer pretexto para que suas personagens tirem a roupa e sensualizem para as câmeras. Não chega nem a ser um softporn por não ter cenas de sexo, mas tirando esse detalhe, é muita sensualidade no decorrer da trama. As cenas de morte são risíveis e praticamente se repetem uma após outra. Ainda sim, é uma obra extremamente divertida e rápida que vai agradar quem gosta de um bom filme ruim.

P.S.: Lançando moda muito antes das obras da Marvel, existe uma hilária cena durante os créditos.

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.