DICA DA SEMANA: Jantar Sangrento (1987)

[Por Felipe Macedo]

Os anos 80 ainda escondem certas pérolas para amantes de filmes trash e que merecem ser conhecidos. Jantar Sangrento (Blood Diner) é uma dessas. Na verdade, eu já tinha ouvido falar sobre essa beleza algum tempo atrás e não tinha dado a devida importância. Só depois de assistir é que me arrependi de não ter visto antes acompanhado de algumas brejas para a experiência ser ainda mais divertida. Continuar lendo

DICA DA SEMANA: Shock – Diversão Diabólica (1984)

[Por Jota Bosco]

Shock – Diversão Diabólica é considerado o primeiro “slasher” nacional (apesar de achar que ele flerta muito mais com o giallo italiano do que com o subgênero americano). Foi bastante comparado a filmes como “Halloween” e “Sexta-Feira 13” em seu lançamento, apesar do diretor Jair Correia bater o pé em afirmar que sequer tinha visto esses filmes e depois que viu, detestou! Continuar lendo

DICA DA SEMANA: What The Waters Left Behind (2017)

[Por Jarmeson de Lima]

Apesar de todas as críticas, temos sorte de ter ao alcance de alguns cliques um acervo de filmes que fogem do circuito hollywoodiano no catálogo da Netflix Brasil. Nos últimos meses acabei vendo filmes indianos, árabes, franceses, coreanos, mexicanos e agora, um argentino na plataforma de streaming. E todos do gênero horror e recentes, vale dizer. Continuar lendo

DICA DA SEMANA: Emelie (2015)

[Por Gabriela Alcântara]

A busca por bons filmes na Netflix nem sempre é fácil. Emelie (2015), de Michael Telin, pode não ser o melhor filme que você verá na sua vida (nem mesmo neste final de semana), mas traz uma experiência bacana através da boa execução. Além disso, o filme tem uma trama que evoca medos extremamente comuns em todas as mães e pais: o medo de que algo aconteça algo a seus filhos. Continuar lendo

DICA DA SEMANA: A Hora do Lobisomem (1985)

[Por Felipe Macedo]

O mito do lobisomem é praticamente universal, existindo histórias sobre a mítica criatura em quase todos cantos do globo. Além da beleza natural de uma lua cheia, a criatura é cercada de mistérios e esse lado mais sombrio serviu de base para um romance curto de Stephen King e que como quase tudo do autor, “Silver Bullet” virou filme tempos depois que foi repetido à exaustão no SBT sob o título de “A Hora do Lobisomem”.
Continuar lendo