RESENHA: The Head Hunter (2018)

[Por Geraldo de Fraga]

Filme de terror de baixo orçamento não é novidade para ninguém. Nem para quem produz, nem para quem assiste. A minúscula quantia de 30 mil dólares que The Head Hunter (2018) custou, porém, impressiona. E talvez, por isso, haja uma supervalorização de parte do público, com elogios que levam sempre em consideração o orçamento extremamente limitado.
Continuar lendo

DICA DA SEMANA: A Noiva Possuída (2013)

[Por Jarmeson de Lima]

Já cansamos um pouco de ver filmes relacionados a exorcismo e possessão no cinema de horror ocidental com suas fórmulas batidas e finais previsíveis. Sendo assim, fiquei surpreso em ver no catálogo da Netflix Brasil um filme turco chamado “A Noiva Possuída” (Dabbe 4 – Cin Çarpmasi), que apresenta um caso misterioso que supostamente ocorreu há alguns anos em uma pequena aldeia chamada Kıbledere. Continuar lendo

DICA DA SEMANA: Flu (2013)

[Por Felipe Macedo]

O cinema asiático é conhecido por pegar fórmulas americanas e dar um toque pessoal a histórias aparentemente batidas para a maioria do público. Estas produções se caracterizam por mostrar mais camadas e explorar situações que passam batidas em histórias similares de estúdios do Tio Sam. No caso, vamos falar agora de “A Gripe” (Flu), que está disponível no catálogo da Netflix Brasil. Continuar lendo

RESENHA: Cemitério Maldito (2019)

[Por Jota Bosco]

Segundo filme baseado no conto homônimo de Stephen King, “Cemitério Maldito” foi dirigido a quatro mãos por Kevin Kölsch e Dennis Widmyer e conta a história do Doutor Louis Creed (Jason Clarke), que se muda de Boston para o Maine com sua família. Estão incluídos aí a esposa Rachel (Amy Seimetz), suas duas crianças Ellie e Gage (interpretadas por Jeté Laurence e Hugo Lavoie) e o gato Church. O objetivo é tentar construir uma vida mais tranquila para todos eles. Continuar lendo

RESENHA: Dia dos Mortos (1985) x Day of the Dead: Bloodline (2018)

[Por Jarmeson de Lima]

Por curiosidade mórbida, um dia após reassistir ao clássico oitentista de George Romero, resolvi encarar o remake que vinha protelando há um tempo e com razão. Sei que é covardia comparar, mas fazer o que, né?! Sem coragem de admitir ser totalmente uma refilmagem, “Day of the Dead: Bloodline” deixa claro que é apenas “baseado em Day of the Dead“. Sei sei… sendo que ele pega emprestado do original duas coisinhas básicas: a ambientação numa base militar e o zumbi “Bub”, que aqui ganha o nome de “Max”. Continuar lendo