DICA DA SEMANA: I Drink Your Blood (1970)

[Por Jarmeson de Lima]

Hippies satanistas saem andando pelas brenhas dos Estados Unidos se divertindo ao seu modo. Chegam em uma cidade semi-abandonada e de forma inconsequente maltratam um idoso do local. Como vingança, o neto pega sangue de um cão com Raiva e joga na comida dos hippies. Em pouco tempo, eles ficam transtornados e violentos querendo matar uns aos outros. É mole ou quer mais? Continuar lendo

GAME: Paranormal Activity – The Lost Soul

[Por Felipe Macedo]

A franquia Atividade Paranormal virou uma grife nos últimos anos e mesmo tendo sido aparentemente encerrada, não duvido que num futuro próximo a saga das pessoas amaldiçoadas invada as telas. Então, estendendo seu poderio, foi lançado em 2017 um jogo baseado na série de filmes. Será que foi dessa vez que a maldição de jogos ruins baseados em filmes foi quebrada? Continuar lendo

RESENHA: Escape Room (2019)

[Por Jarmeson de Lima]

“Escape Room” se inspira em uma nova febre de games da vida real que está rolando por aí. Para quem não está familiarizado com isto, essas espécies de gincanas são do tipo em que pessoas isoladas em um local tem que achar pistas em um determinado tempo para escapar e vencer o jogo. No Brasil, o mais próximo que chegamos disso é assistindo a algumas “Provas do Líder” do BBB.

Continuar lendo

RESENHA: Nightflyers (2019)

[Por Jarmeson de Lima]

Os algoritmos da Netflix andam a 1000 km/h ultimamente. Meio que já deu pra sacar como é o modus operandi deles, né?! São esses dados de preferência dos usuários e as tendências de consumo mundial que estão norteando a gigante do streaming audiovisual. E quando não conseguem algo de ponta, eles apelam pra um ‘remake’ tipo o seriado de “Perdidos no Espaço” ou adaptam histórias pouco conhecidas de escritores famosos a exemplo de “1922” de Stephen King.
Continuar lendo

DICA DA SEMANA: The Mindscape of Alan Moore (2005)

[Por Geraldo de Fraga]

Falar de Alan Moore pra mim é fácil. O cara escreveu A Voz do Fogo, um dos meus livros de cabeceira, o homem repaginou as histórias do Monstro do Pântano, transformando o personagem em um dos maiores ícones dos quadrinhos de terror e o cidadão também criou ninguém menos que John Constantine. Esse inglês ainda juntou vários clássicos do horror e inúmeras referências do gênero para montar A Liga Extraordinária. Continuar lendo