RESENHA: O Chamado 3 (2017)

cartaz_chamado3

[Por Osvaldo Neto]

A Paramount topou ressuscitar Samara Morgan mais de 11 anos depois do lançamento de “O Chamado 2” em 2005.  Sendo que ao invés de entrar em cartaz com o título original “Chamados” (Rings), que fora anunciado anteriormente pela distribuidora, o terceiro filme da franquia norte-americana ganha as telas de cinema de todo o Brasil como “O Chamado 3”.   Continuar lendo

RESENHA: A Menina que Tinha Dons (2017)

thegirl

[Por Geraldo de Fraga]

No ano em que Invasão Zumbi (Train to Busan) esteve em todas as listas de melhores filmes de horror, outro longa utilizando a mesma temática pós-apocalíptica acabou ignorado pelo grande público, apesar do elenco com figuras conhecidas. A Menina que Tinha Dons (The Girl with All the Gifts), escrito por Mike Carey (baseado em seu próprio livro), não é um filme de mortos-vivos com a básica narrativa de sobrevivência e talvez por isso não tenha alcançado o mesmo sucesso do coreano.
Continuar lendo

RESENHA: Dominação (2017)

incarnate-poster-new

[Por Felipe Macedo]

Estreou na última semana o primeiro filme de terror do ano nos cinemas. Estrelado por Aaron Eckhart e produzido por Jason Blum, “Dominação” (Incarnate) mais uma vez mostra a história de um jovem possuído por um demônio poderoso. Nosso herói aqui luta para derrotar o grande mal e salvar o dia. No entanto, o longa tenta vir com uma promessa de abordar o tema de uma forma diferente do que foi mostrado até hoje. Continuar lendo

RESENHA: The Walking Dead (7ª temporada)

the-walking-dead-season-7-negan-morgan-935-678x381

Precisamos falar sobre Negan

[Por Geraldo de Fraga]

Jeffrey Dean Morgan chegou para salvar The Walking Dead. Seu Negan distribuindo porradas com o bastão Lucille era o vilão que os produtores precisavam para sacudir a série, já que depois de seis temporadas, os zumbis não passam de figurantes. A tática usada foi a esperada: fazer de Negan a pessoa mais odiada do universo e pouco a pouco mostrar os mocinhos montando um plano de vingança. Continuar lendo

EVENTO: Cineclube Toca o Terror – Dez/2016

cineclube-natal-tocaoterror-2016
JÁ É NATAL NO CINECLUBE TOCA O TERROR

Sessão de dezembro no MAMAM exibe o longa “Elfos” e o curta “Último Turno”, produzido por estudantes da Faculdade Barros Melo – AESO

Subvertendo mais uma vez o espírito natalino, o Cineclube Toca o Terror apresenta em sua sessão de fim de ano no MAMAM mais um filme peculiar. Neste ano, o longa metragem a ser exibido no sábado (10/dez) às 16h é “Elfos” (Dir: Jeffrey Mandel, 1989), uma descarada produção inspirada em Gremlins e lançada direto em VHS. Continuar lendo

RESENHA: Anjos da Noite – Guerras de Sangue (2016)

cartaz-anjos-da-noite-guerras-de-sangue

[Por Felipe Macedo]

A cinesérie Anjos da Noite, retorna para mais um capítulo da luta entre vampiros e lobisomens. Mas será que este novo filme é bacana? Bem, os holofotes continuam voltados para Selene (Kate Beckinsale), a dona da porra toda e fiel seguidora do girl power. Em “Guerras de Sangue” ela é perseguida por ambas as raças, que além de querer ela morta, querem sua filha. Aliás, querem o sangue da garota que pode conceder a vitória de quem conseguir o precioso líquido. Continuar lendo

RESENHA: Under the Shadow (2016)

under-the-shadow.jpg

Por Geraldo de Fraga

Babak Anvari foi mais um diretor que estreou em 2016 com o pé direito. Em todos os festivais por onde passou, seja de gênero ou não, Under the Shadow (2016), seu primeiro longa metragem, saiu contabilizando várias e várias críticas positivas, além de alguns prêmios aqui e ali. Tudo isso com atores desconhecidos, num filme falado em persa e com um tipo de assombração que foge do padrão convencional. Continuar lendo

RESENHA: Sadako Vs Kayako (2016)

Sadako-Kayako-poster.jpg

Por Júlio Carvalho

Quando saiu a notícia do crossover de O CHAMADO (Ringu, 1998) e O GRITO (Ju-On, 2002), minha reação foi de extrema desconfiança. Apesar de ser fã de ambas as franquias japonesas, eu não conseguia imaginar como seria tal briga na “prática”. Aí, no começo do ano, surgiram os bons trailers e juntos trouxeram esperança. O filme enfim aconteceu e resultado: Azar o meu, que deveria ter confiado nos meus instintos iniciais, pois SADAKO Vs KAYAKO é pura cilada. Dito isso, agora vamos por partes. Continuar lendo