RESENHA: The Head Hunter (2018)

[Por Geraldo de Fraga]

Filme de terror de baixo orçamento não é novidade para ninguém. Nem para quem produz, nem para quem assiste. A minúscula quantia de 30 mil dólares que The Head Hunter (2018) custou, porém, impressiona. E talvez, por isso, haja uma supervalorização de parte do público, com elogios que levam sempre em consideração o orçamento extremamente limitado.
Continuar lendo

RESENHA: Ghostland (2018)

[Por Geraldo de Fraga]

Lá em 2008, Pascal Laugier escreveu e dirigiu Martyrs, um dos destaques do New French Extremity, movimento composto por filmes transgressivos de diretores franceses na virada do século XXI. Dez anos depois, Pascal revisita suas raízes, reverenciando suas referências e, mais uma vez, investindo na violência. Continuar lendo

SÉRIE: The Terror (2018)

[Por Geraldo de Fraga]

Em 1845, os navios Terror e Erebus, os que haviam de mais modernos na Marinha Real Britânica, partiram para o Ártico com a missão de encontrar uma passagem entre os oceanos Atlântico e Pacífico. As embarcações ficaram encalhadas no gelo e nenhum dos seus tripulantes resistiu aos três anos em que tiveram que viver isolados do mundo.
Continuar lendo

RESENHA: Um Lugar Silencioso (2018)

[Por Geraldo de Fraga]

No mainstream do cinema de terror atual, não é segredo para ninguém que o som assusta mais do que qualquer aparição na tela. Sem o famoso “PAM” saindo das caixas dos multiplexes, poucas produções de Hollywood se sustentam e conseguem fazer os espectadores saírem da sessão com o coração na boca e satisfeitos pelos solavancos que receberam. Continuar lendo

RESENHA: Aniquilação (2018)



[Por Jarmeson de Lima]

Eis que vemos a Netflix apostando mais uma vez em uma produção de ficção científica. Apesar de ter estreado em território nacional na polêmica plataforma de streaming, o destino de “Aniquilação” (Annihilation) era mesmo o cinema. Os cenários psicodélicos com plantas e criaturas estranhas com mutações lovecraftianas combinariam bem com as telas gigantes em que nos habituamos a ver tais produções. Continuar lendo

RESENHA: Medo Profundo (2017)

[Por Felipe Macedo]

Os filmes com tubarão voltaram com tudo com o sucesso estrondoso da franquia Sharknado (ok, não vou entrar no mérito qualidade). Pois bem, já falei que os tutubas fizeram as pazes com o público e crítica com o bom “Águas Rasas” (2016) que foi seguido agora por “Medo Profundo” (47 Meters Down) (2017), que tem o elenco encabeçado pela cantora e ex-atriz teen Mandy Moore.
Continuar lendo

RESENHA: A Morte Te Dá Parabéns (2017)

[Por Felipe Macêdo]

Quem nunca quis ter uma segunda chance e corrigir algo em sua vida? Tree (Jessica Rothe) teve mais de uma chance pra fazer isso. Ela vive, morre e volta para o mesmo dia e não entende o que está acontecendo. A chave para sair desse pesadelo é descobrir quem é o vilão mascarado que a mata diversas vezes e bem no dia do seu aniversário. Essa é a trama do novo filme da Universal Pictures e Blumhouse, uma parceria que rendeu vários frutos como a franquia “Uma Noite de Crime” e o elogiado “Corra!”. A bola da vez é tentar reviver (opa!) os slasher movies, dando uma nova roupagem ao filme “A Morte Te Dá Parabéns”. Continuar lendo

RESENHA: Ao Cair da Noite (2017)

[Por Jarmeson de Lima]

Insegurança, desconfiança mútua e paranoia norteiam “Ao Cair da Noite” (It Comes at Night), do novato Trey Edward Shults, que fez desta produção o seu segundo longa. Com um orçamento enxuto e sem grandes nomes no elenco, temos aqui um filme de respeito mas que infelizmente não vai ser respaldado pelo grande público.
Continuar lendo

DICA DA SEMANA: House on Sorority Row (1983)

[Por Felipe Macêdo]

Os ‘slasher movies’ tiveram seu ápice no inicio dos anos 80, devido ao sucesso de filmes como Haloween (1978) e Sexta-Feira 13 (1980). Foi quando surgiram vários clones desses exemplos e todos queriam tirar uma fatia desse sucesso. Em 1983, Mark Rosman, um jovem diretor veio com um ótimo exemplar chamado House on Sorority Row e fez do feijão com arroz algo bastante saboroso e divertido. Continuar lendo