TV: Dracula, a série

Dracula NBC

Depois do sucesso de séries como “Vampire Diaries” e “True Blood”, mostrando vampiros jovens nos tempos atuais, eis que está chegando um novo seriado com a presença dele, o pai de todos os vampiros, o conde Dracula. A série produzida pela NBC deve estrear em outubro deste ano nos EUA e já conta com dez episódios nesta primeira temporada.

No entanto, diferentemente das outras já citadas anteriormente, Dracula, a série da NBC, aposta na caracterização do personagem na Inglaterra do século XIX, com direito a uma direção de arte e figurinos pomposos. No elenco está Jonathan Rhys Meyers, como Dracula, Jessica de Gouw (Mina), Victoria Smurfit (Lady Jayne Wetherby), Nonso Anozie (R M Renfield), Katie McGrath (Lucy Westenra), Oliver Jackson Cohen (Jonathan Harker) e Thomas Kretschmann (Abraham Van Helsing).

GALERIA: As diferentes faces de Dracula

Sem dúvida alguma, Dracula foi o personagem mais filmado na história da sétima arte. Desde que Bram Stoker deu vida a este lendário vampiro, cineastas e mais cineastas se aventuraram a filmar a sua imortal história de paixão e sede de sangue.

Bela Lugosi e Christopher Lee foram os atores mais memoráveis a viver na pele do personagem, mas muitos outros já emprestaram seu rosto ao conde. Jack Palance, Frank Langella, John Carradine, Gary Oldman e até Leslie Nielsen também interpretaram Dracula em filmes que foram dirigidos por gente como Jess Franco, Francis Ford Coppola e Dario Argento.

E se quiserem saber de mais curiosidades acerca destes filmes, ouçam o podcast que fizemos em homenagem ao famoso vampiro da Transilvânia.

RESENHA: “Dracula de Bram Stoker” (1992)

dracula-bram-stoker-bluray-01

Por Julio Cesar Carvalho

Em meio a inúmeras adaptações para o cinema desse monstro da literatura clássica, eis que ninguém menos que Francis Ford Coppola decide fazer a sua versão do clássico de Bram Stoker. O resultado foi um dos melhores filmes do conde já feitos e que venceu 4 categorias do Oscar em 1992. Apesar de não ser exatamente o que o título diz, já que muitos aspectos do livro foram reinventados, é um filme que marcou época e que é referência até hoje. Mas como o foco aqui não é o filme em si. Vamos ao blu-ray de DRÁCULA DE FRANCIS FORD… Não, espera… DE BRAM STOKER.

Apesar de ter escrito “Edição de Colecionador” na capa, a caixa é a padrão, azulzinha, e não contém nenhum encarte ou livreto. Aliás, achei a arte da capa horrível. Tem a foto do conde se protegendo da luz, mas parece que ele está até com vergonha de sair na foto.

IMAGEM: Segundo uma chamada na caixa do Blu-ray, é prometido total fidelidade ao master original da obra. Sinceramente, eu esperava mais. Achei a imagem, por vezes, cheia de ruídos e pouca nitidez, comparado a outros títulos em FULL HD que estão no mercado. Não me entendam mal, a fotografia do filme é impecável, só não achei o resultado da “alta definição” tão bom quanto esperava. Talvez, essa não seja uma masterização definitiva ou até tenha sido a intenção na época da filmagem, já que o filme tem, propositalmente, uma cara artesanal. Mas claro que não compromete o entretenimento em momento algum, até porque nem todo mundo nota esse tipo de coisa.

ÁUDIO: Esse sim está avassalador. Não assisti em um home theater 5.1, mas meu simples 2.0 me deixou totalmente imerso. Dá pra notar profundidade nos efeitos sonoros e a trilha é impactante. Som cristalino.

EXTRAS: Aí sim, é onde esse blu-ray faz a diferença. Além do comentário do Francis F. Coppola e cenas excluídas, tem quatro documentários. O SANGUE É A VIDA: mostrando os bastidores na época das filmagens; FIGURINO: obviamente mostrando o processo de criação das roupas dos personagens; EFEITOS VISUAIS DE DRÁCULA: acredito que seja o mais interessante de todos, pois mostra como foram criados os efeitos usando apenas técnicas antigas e artesanais, evitando o uso de CGI; MÉTODO E LOUCURA: aborda mais a direção de arte, os conceitos visuais do Drácula e seus personagens através de vários artistas, e o desenvolvimento dos storyboards.

A distribuição é pela Sony Pictures e tem legendas em português para o filme e extras, e áudio (5.1 TRUE HD) em português, apenas para o filme.

PRODUTORA: Hammer Film

Hammer-Films

A Hammer Film Production é uma das mais famosas produtoras de cinema da Inglaterra e do mundo inteiro aclamada por suas películas realizadas entre as décadas de 50 e 70.

O ciclo de filmes de horror da Hammer começou com “The Curse of Frankenstein” (1956), dirigida por Terence Fisher. Dois anos mais tarde iniciou uma série de filmes sobre Drácula, com a participação de Christopher Lee, que participou de oito deles. O sucesso desses primeiros filmes foi tão grande que a companhia acabou dedicando-se quase exclusivamente ao gênero terror.

Entre material adaptado da literatura universal e roteiros inéditos, lançaram ainda grandes produções como “O Cão dos Baskervilles” (1959), “Grito de Pavor” (1961), “O Fantasma da Ópera” (1962) e “Quando os Dinossauros Dominavam a Terra” (1970). Parte do seu êxito deve-se à participação da Warner Brothers na distribuição mundial de alguns de seus sucessos.

A decadência da produtora iniciou-se em meados dos anos 70, sendo que suas últimas produções datam da década de 80, com a realização de séries de terror para a televisão britânica. A Hammer Films, no entanto, voltou à ativa em 2007 com a produção de novos filmes, dentre estes o sucesso “A Mulher de Preto”, que contou o ator Daniel Radcliffe.

FILME: O Conde Drácula (1970)

Image

Em 1970, Christopher Lee apareceu em nada menos do que três filmes diferentes encarnando o mesmo personagem: O Conde Drácula. No filme homônimo dirigido por Jess Franco e que conta ainda com a presença de Klaus Kinski encarnando Renfield e Herbert Lom como o Professor Van Helsing, Christopher Lee estava reticente quanto a sua participação. Como já estava cansado de interpretar Dracula, foi convencido pelo diretor de que esta produção seria a mais fiel já feita à obra de Bram Stoker. Mas vendo o filme, logo notarão que a história não é tão fiel assim…

GENTE: Christopher Lee

Dracula_AD_1972

“Lon Chaney e Boris Karloff não gostavam da palavra ‘horror’. Eles, igual a mim, preferiam a descrição francesa: o teatro do fantástico”. (Christopher Lee)

Com 9 décadas de vida e pelo menos 6 dedicadas ao cinema, Sir Christopher Frank Carandini Lee ficou conhecido mundialmente como a personificação do Conde Dracula ao interpretar o personagem em oito filmes. Sua figura ainda é lembrada pelos papeis de Conde Dooku na nova trilogia de Star Wars e como o Mago Saruman na trilogia O Senhor dos Aneis.

Além do seu trabalho no cinema, Sir Christopher Lee ainda possui no currículo dois discos de heavy metal.