RESENHA: Aterrorizados (2017)


[Por Geraldo de Fraga]

O cinema argentino tem se destacado há tempos, são inúmeros os exemplos de obras que fizeram sucesso. Você mesmo já deve ter assistido e gostado de algum. Porém, não havia ainda um longa do gênero horror que arrebatasse corações. Agora tem. Aterrorizados (Aterrados), escrito e dirigido por Demián Rugna, é esse exemplar que faltava. Continuar lendo

RESENHA: Os Estranhos – Caçada Noturna (2018)

[Por Felipe Macedo]

O medo da violência atinge a todos nós, cada vez mais assustados com a quantidade de casos assim em todo o mundo. Sendo assim, o único lugar em que nos sentimos seguros é nossa casa, certo? Mas imagina se um trio de assassinos mascarados começa a fazer jogos macabros para te aterrorizar e logo depois te caçar sem piedade? Essa é a trama do primeiro Os Estranhos (2008) e que foi alterada quase que por completo em sua tardia sequência. Continuar lendo

DVD: A Menina do Outro Lado da Rua (1976)


[Por Osvaldo Neto]

A jovem Jodie Foster teve um grande ano em 1976. Além de trabalhar com Martin Scorsese em TAXI DRIVER, ela viria a ter papéis de destaque no musical QUANDO AS METRALHADORAS COSPEM, de Alan Parker, no pouco conhecido drama ECOS DE UM VERÃO (filmado 2 anos antes), de Don Taylor e no longa que comentaremos hoje. A MENINA DO OUTRO LADO DA RUA chega pela 1a. vez no Brasil em DVD com um excelente tratamento pela distribuidora Obras-Primas do Cinema. Continuar lendo

RESENHA: Emelie (2015)

[Por Gabriela Alcântara]

A busca por bons filmes na Netflix nem sempre é fácil. Emelie (2015), de Michael Telin, pode não ser o melhor filme que você verá na sua vida (nem mesmo neste final de semana), mas traz uma experiência bacana através da boa execução. Além disso, o filme tem uma trama que evoca medos extremamente comuns em todas as mães e pais: o medo de que algo aconteça algo a seus filhos. Continuar lendo

RESENHA: Um Lugar Silencioso (2018)

[Por Geraldo de Fraga]

No mainstream do cinema de terror atual, não é segredo para ninguém que o som assusta mais do que qualquer aparição na tela. Sem o famoso “PAM” saindo das caixas dos multiplexes, poucas produções de Hollywood se sustentam e conseguem fazer os espectadores saírem da sessão com o coração na boca e satisfeitos pelos solavancos que receberam. Continuar lendo

RESENHA: O Corpo (2015)

[Por Osvaldo Neto]

Algo que me chateia – e muito – são os filmes inflados, tanto em ritmo quanto pelos momentos repetitivos, apenas enchendo a boa e velha linguiça e o saco do espectador. Mas, por enquanto, vamos deixar os filmes “de arte” e esses blockbusters recentes que devem ter aumentado a incidência de cãibras e de dores nas nádegas e coluna no mundo inteiro de lado para falar do que importa aqui nesse blog.

Continuar lendo